O julgamento e o seguimento de Cristo

No Evangelho de hoje (Mateus 11,20-24) Jesus Cristo fala sobre o julgamento das cidades, onde foram realizados seus milagres e elas não se tinham convertido. O texto é como toda Sagrada Escritura profundo, mas, destaco aqui o versículo 23, quando Jesus afirma que “Serás atirada até o inferno”, referindo-se a Cafarnaum, que mesmo presenciado os milagres de Cristo não se converteu e não o seguiu.

São palavras fortes, porém, podem ser ditas para nós, caso nossa opção seja em insistir em não seguir o Cristo. Conhecemos a Escritura, seus ensinamentos, suas promessas e todo o seu sacrifício e mesmo assim, preferimos seguir nosso caminho na direção contrária àquilo que Cristo nos ensina.

No dia do julgamento, Deus será justo, por isso, muitos que pensamos que estão condenados ao inferno estarão salvos e nós? Qual será nosso destino quando formos a julgamento? Cristo tem sido nossa opção diária ou vamos a Ele quando sentimos a necessidade de que Ele nos ajude?

Numa de suas cartas São Paulo nos alerta que: muitos serão julgados pela sua ignorância e outros serão julgados pelo conhecimento de Jesus Cristo e seus ensinamentos.

Assumir a nossa cruz ao testemunhar Cristo

Na leitura de hoje, Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (10,34-39) destaco dois versículos.

O primeiro, “Não julgueis que vim trazer a paz à terra, vim trazer não a paz, mas a espada” (34).

Neste versículo podemos fazer várias reflexões, sendo a principal delas, mais um anúncio do sofrimento que Cristo enfrentou. Mas, podemos também ter outro olhar, que trata especificamente da nossa adesão ao projeto de Jesus Cristo, ao fato de optarmos em ser discípulos /missionários, levando a sua mensagem em todos os ambientes.

Esta decisão nos leva também ao sofrimento, pois como vimos ao longo da história da Igreja, muitos cristãos morreram e ainda morrem em nome de Jesus Cristo.

O segundo versículo, “Quem não toma a sua cruz e não me segue não é digno de mim” (38). Aqui podemos dizer que é a conclusão de todo chamado que Deus nos faz para segui-lo, amá-lo e testemunhar seu amor entre as nações, em todos os ambientes que vivemos, principalmente em nossa família.

Muitos de nós sabemos que não é fácil testemunhar o amor de Cristo e ser discípulo/missionário de Jesus nos ambientes que vivemos. Mas, como o próprio Jesus afirma: “Quem não toma a sua cruz e não me segue não é digno de mim”.

Precisamos assumir e vivenciar também os sofrimentos, as frustrações, as tristezas, angustias, etc, etc. Se vivermos cada momento destes e mantendo-se fiel a Cristo, acredito que estamos nos caminho certo. Um caminho que não é fácil, mas prazeroso, pois nossa opção e testemunho é por alguém que vale a pena e que nunca nos abandona ou nos trai.

Sejamos fiéis ao Cristo e assumamos a nossa cruz nesta caminhar com ele.

Evangelho: São Mateus 10,1-7

Da leitura do Evangelho da leitura de hoje, tiro este trecho do versículo oitavo “De graça recebestes, de graça deveis dar!” para que possamos refletir sobre o que recebemos de Jesus Cristo.

Temos muitos dons que recebemos de Deus gratuitamente e como estamos fazendo para retribuir a esta generosidade do Senhor.

Os dons são diversificados e em cada pessoa se manifesta de uma forma diferente, sendo que cada um, como Jesus mesmo no disse que devemos multiplicar os talentos recebidos.

Se recebemos de graça, de graça devemos coloca-los a serviço da comunidade que vivemos para que possamos criar um mundo verdadeiramente cristão.