Ficar atentos para vinda do Senhor

Iniciamos hoje o Tempo do Advento, tempo de preparação e espera para vinda do Senhor Jesus Cristo. Celebramos este período certos de que o Senhor já venho, mas vivemos na esperança da sua segunda vinda quando vai separar o joio e do trigo. Como nos ensinou o próprio Cristo devemos ficar atentos e nos preparar para sua vinda, para que não sejamos pegos de surpresa e despreparados. Por isso, aproveitemos bem este momento para nos preparar e celebrar com grande alegria a vinda do Senhor

Nossa Senhora das Graças

Celebramos hoje a festa de Nossa Senhora das Graças, quando refletimos sobre a importância da Virgem Maria na vida da Igreja e na vida de cada cristão. Sem dúvida nenhuma, todos os cristãos católicos têm um grande amor por Maria, não apenas por ser ela a mãe de Jesus Cristo, mas, principalmente e indiscutivelmente, por ser ela a nossa mãe.

Ela está junto do Pai e do Filho intercedendo por cada um de nós. Seu amor é incondicional e mesmo não sendo digno de tão grande amor, a Virgem Maria não nos abandona, não esquece de Deus e está sempre intercedendo por nós.

Qual a nossa resposta a este amor incondicional? Como vivemos o nosso dia a dia?

A resposta é simples e foi ela mesma que nos deu: “Fazei o que Ele (Jesus) vos disser”. (Jo 2,5)

Ainda segundo a Virgem Maria para responder ao seu amor é apenas cumprir a vontade do Pai, manifestada por seu filho, Jesus Cristo.

Candidatos para todos os gostos

Este ano, na maioria dos municípios do Brasil o número de candidatos a prefeito é maior que nas eleições anteriores e isto tem uma explicação, pois é resultado da proibição de coligação na eleição para vereador. Com isso, muitos partidos se viram obrigados ou viram a oportunidade de lançar candidato a prefeito.

Infelizmente, mesmo sendo proibido coligação para vereador, muitos partidos optaram por fazer coligação na majoritária. Mas, aqui precisamos chamar atenção que algumas siglas continuam sendo de aluguel para abrigar aquele candidatos que são do interesse ou amigos e parceiros políticos de determinado candidato a prefeito

Em Petrópolis está situação não é diferente e com isso temos 13 candidatos a prefeito. Para alguns eleitores este número de candidato pode ser ruim. Mas, se levarmos em consideração alguns aspectos o eleitor tem a oportunidade de sair do discurso de que só tem os mesmos candidatos.

Desta vez, além daqueles nomes já conhecidos, temos nomes que são candidatos pela primeira vez e é a primeira participação política. Portanto, manter a argumentação que a eleição só tem os mesmos candidatos não vale para está eleição.

Outro argumento muito comum em nossos dias é que todo político só quer se dar bem. Também não vale para esta eleição, pois, como disse  acima, muitos estão participando pela primeira vez e não tem nenhum histórico político que comprometa sua imagem.

O que todos eleitor precisa é estar atento aos candidatos, conhecer sua história, sua proposta de governo e também porque deseja ser perfeito.

Mas, retomando um dos pontos iniciais deste texto vou falar especificamente sobre os candidatos de Petrópolis.´

1 – Pela primeira vez nos últimos anos, Petrópolis tem 13 candidatos, com nomes conhecidos e outros novos na política;

2 – Dos 13 candidatos a prefeito, seis são novos no cenário políticos, apesar de alguns serem militantes há muito tempo em seus partidos, são novos nomes: Alexandre Gurgel (Cidadania); Coronel Vieira Neto (PRTB); Eduardo Silverio (PODE); Elias Montes (PFL); Professora Livia Miranra (PCdoB); Professor Zé Luiz (PSOL).

3 – Dos sete candidatos a prefeito restantes, cinco nomes são conhecidos politicamente, já ocuparam cargos públicos, seja na Prefeitura, no Estado, na União e na Alerj: ex-vereador Jamil Sabrá Neto (PSC), ex-vereador e ex-presidente da Comdep, Marcos Novaes (PDT); Matheus Quintal (Republicanos), já ocupou cargos políticos no Estado e na União; vereador Professor Leandro Azevedo (PSD); Ramon Mello (Avante), ocupou cargo de assessor parlamentar na Alerj.

4 – E os dois últimos são mais do que conhecidos: o ex-prefeito Rubens Bomtempo e o atual prefeito Bernardo Rossi.

Um olhar mais criterioso sobre os candidatos podemos fazer diversas análises, separá-los por tendências ideológicas e chegaremos à conclusão que temos na eleição 2020, candidatos para todos os gostos e par atender (como já disse acima) a velha argumentação de que os candidatos são os mesmos. Desta vez, como podemos ver, até entre aqueles que são novatos no cenário político há candidatos do centro, da direita e da esquerda.

O preconceito e a indiferença em nossa sociedade

O preconceito em nossa sociedade tem sido muito combatido e muitas pessoas acabam sendo denunciadas as autoridades policiais. No entanto, somos uma sociedade doente e que ainda precisa caminhar muito para compreender que podemos conviver com o diferente.

No Evangelho de São Mateus (13,53-58) encontramos uma situação onde Jesus também se depara com o preconceito e desprezo da comunidade onde vivia. Após pregar na sinagoga, aqueles que estavam lá ficaram admirados e questionavam-se perguntando e afirmando ao mesmo tempo: “Não é este o filho do carpinteiro?”.

A pergunta tem um grau de preconceito, pois como podiam admitir que o filho de um carpinteiro tivesse tanta sabedoria para ensinar no templo. Não deveria ele apenas exercer o ofício de seu pai? Jesus naquele momento sentiu o desprezo daqueles que eram de sua comunidade. Eram, como todos somos, preconceituosos, pois não admitidos que alguém, que nos é diferente seja melhor que nós e preferimos desprezar a pessoa.

O preconceito vivido por Jesus nesta passagem é o que todos os diversas pessoas passam, simplesmente por serem diferente.

Todos que me conhecem sabem que sou gordo e por conta disto uma deformidade abdominal, conforme foi classificado por um médico que consultei. Na verdade, no popular, é uma barriga grande, caída e que somente com cirurgia plástica vou resolver este problema.

É fato que, basta uma simples cirurgia e não terei mais o incomodo da barriga. Enquanto não faço (por diversos motivos), vivo uma vida normal sob o olhar atento de pessoas que demonstram seu preconceito e as mais diversas reações quando me veem.

Para mim, confesso, que as vezes me divirto com esta situação. Principalmente quando são crianças que fazem uma relação com a figura do bom velhinho, o Papai Noel. Fico feliz e embargo na imaginação delas.

Porém, fico incomodado quando vejo adolescentes, jovens, adultos (homens e mulheres) e idosos que com um olhar, um cochicho com quem está ao lado, um sorriso no canto da boca, ou mesmo uma piadinha demonstram seu preconceito e que não estão prontos para o que é diferente diante de seus olhos ou do que imaginam ser o perfeito.

Como pode alguém que rir ou tem um comentário preconceituoso exigir respeito. Muitas destas pessoas que tem um olhar preconceituoso por causa da minha barriga são as pessoas que em algum momento da vida vão pedir respeito por serem jovens, trabalhador, idoso, gay, negro, branco, etc, etc.

Sinceramente é uma situação que procuro levar numa boa. Como disse, a minha situação basta uma cirurgia. Mas, e aqueles que não podem contar com uma cirurgia e que constantemente sofrem com preconceito seja porque motivo for.

Vivemos numa sociedade hipócrita, preconceituoso, racista e discriminatória. Muitos possuem discursos de respeito ao direito e a dignidade da pessoa humana, mas na vida pessoal atuam como todos da sociedade. Ter discursos bonitos, que encanta a multidão é muito bom.

Porém, mais do que palavras necessitamos de atitudes.